Oceano engole cemitério em Cartagena, na Colômbia, e expõe caveiras em praia

Aumento do nível do mar preocupa especialistas e provoca efeitos catastróficos na cidade mais turística da Colômbia

18/03/2024
Foto: Vista da parte moderna de Cartagena

O aumento do nível do mar tem provocado efeitos catastróficos na cidade mais turística da Colômbia. Devido ao aquecimento global, as ondas invadiram um cemitério em Cartagena, destruindo seus túmulos e arrastando os cadáveres para a beira da praia.

Os ossos pertencem aos antigos habitantes da ilha Tierra Bomba, localizada em frente à luxuosa zona hoteleira do país, e tal a idade dos restos mortais que não há sequer informações de descendentes que possam se encarregar deles.

Em entrevista à AFP, a líder comunitária Mirla Aaron, de 53 anos, se emocionou ao listar que, além do cemitério em Cartagena, o mar “destruiu 250 casas da comunidade, o posto de saúde, píeres, e levou vários salões comunitários, infraestrutura elétrica”.

 

Antes do ocorrido, os túmulos ficavam a uma distância segura do Mar do Caribe.

‘Joia do Caribe’ pode desaparecer

Desde o início do século 21, o nível do mar em Cartagena aumenta cerca de 7,02 milímetros por ano, em um ritmo superior à média global de 2,9 milímetros, segundo estudo publicado em 2021 na revista científica Nature.

 

Soma-se a isso o fato de que a cidade foi construída em um terreno com cavidades subterrâneas que colapsam e provocam seu afundamento.

“Lamentavelmente, a ilha tem sido vítima de um processo erosivo (…) que tem aumentado exponencialmente nas últimas décadas”, afirma Aaron.

 

Pesquisadores da Universidade de Eafit, de Zagreb, e da Universidade Internacional de Miami apontam que, se as emissões de efeito estufa não diminuírem, o mar subirá 26 centímetros na baía até 2050 e 76 centímetros até 2100.


Segundo Marko Tosic, cientista ambiental e um dos autores da publicação, a mudança é “muito pequena, estamos falando de milímetros ao longo dos anos, mas (…) a inundação será sentida”.

Defesa contra as ondas

Para evitar situações similares a do cemitério em Cartagena, autoridades locais estão estendendo 4,5 quilômetros de quebra-mar. A ideia é amortecer o impacto das ondas – medida sem a qual 80% dos bairros estariam sob risco de inundação, de acordo com a prefeitura.

 

O problema é que, conforme explicou Mauricio Giraldo, outro líder local e representante de pescadores, o escudo protege as atrações turísticas e os hotéis de luxo, mas altera a corrente marítima e afeta áreas onde vivem as populações mais vulneráveis.

 

Náutica Responde

Faça uma pergunta para a Náutica

    Relacionadas

    Danimar leva scooter aquática e modelos off road ao Rio Boat Show 2024

    Concessionária oficial de marcas como Segway, empresa também apresentará UTV e quadriciclo ao público do evento náutico

    André Homem de Mello recorda histórica volta ao mundo a vela no NÁUTICA Talks

    Primeiro brasileiro a alcançar o feito em solitário e sem escalas integra agenda recheada do Rio Boat Show 2024

    Fernando Moraes conduz mergulho pelas ilhas brasileiras no NÁUTICA Talks

    Biólogo marinho trará à tona detalhes sobre biodiversidade e história de locais emblemáticos durante o Rio Boat Show 2024

    Prós e contras do envelopamento náutico serão discutidos com Pedro Dias no NÁUTICA Talks

    Especialista em adesivagem náutica, "Pedrinho" vai conduzir bate-papo na série de palestras do Rio Boat Show 2024

    Canal Náutica no YouTube fará cobertura ao vivo do Rio Boat Show 2024

    Evento náutico mais charmoso da América Latina contará com transmissão ao vivo todos os dias